ufla

 

 

 

   
  RUBIACEAE
   
 
Classificação Botânica

Divisão: Magnoliophyta 
Classe: Magnoliopsia 
Ordem: Gentiales 
Família: Rubiaceae 
Gênero: Mussaenda
Espécie: M. incana
 
Descrição botânica
Família da botânica que abarca uma das plantas mais conhecidas em todo o mundo, devido ao interesse econômico, a espécie Coffea arabica, conhecida popularmente por café, que também apresenta porte e frutificação, os quais poderiam levá-la a condição de ornamental. Rubiaceae é representada por ervas, subarbustos, arbustos e árvores, mais raramente por lianas perenes ou anuais. Suas folhas são freqüentemente inteiras, simples, opostas, ocasionalmente verticiladas, geralmente com estípulas, às vezes, transformadas em folhas ou espinhos. Inflorescência comumente cimosa, eventualmente em glomérulos ou reduzida à flor isolada; flores, às vezes, vistosas, bissexuadas ou raramente unissexuadas, actmonorfas, em geral , cálice excepcionalmente com sépalas muito desenvolvidas como ocorre em Mussaenda ssp, geralmente dialessépalo; corola freqüentemente pentâmera, gamopétala, prefloração valvar ou imbricada; estames correspondentes ao número de pétalas, epipétalos, anteras rimosas; gineceu com 2 ou mais carpelos, ovário ínfero (raramente súpero), com 2 ou mais lóculos, geralmente uniovulados, placentação axial, ereta ou pêndula. Fruto do tipo cápsula esquizocarpo, drupa ou baga.
 
Ocorrência
A família é considera cosmopolita com distribuição nas regiões tropicais, abrangendo grande número de espécies, que deve chegar a mais de 10.000, em aproximadamente 600 gêneros; no Brasil é muito bem representada com cerca de 1.500 espécies em 130 gêneros.
 
Uso paisagístico
As maiores atenções para a família Rubiaceae concentram-se no interesse econômico representado, principalmente, pela espécie Coffea arábica (café) além de Genipa americana (jenipapo) e Calycophyllum spruceanum (pau-mulato), também utilizada como ornamental. Todavia, muitas plantas arbustivas são de significativa importância no paisagismo, a exemplo dos gêneros Mussaenda, Ixora, Gardenia e Pentas, muitas cultivadas a pleno sol, como exemplar isolado, em grupos, formando maciços ou renques ao longo de cercas, grades ou paredes.
 
Gêneros
 
 
Alibertia, Anthocephalus, Bathysa, Calycophyllum, Chimaris, Coffea, Coutarea, Diodia, Gardenia, Genipa, Hamelia, Hoffmannia, Isertia, Ixora, Kerianthera, Manettia, Mussaenda, Pentas, Randia, Serissa, Simira,  Tocoyena, Warszewiczia.
 
 
Principais espécies
 
Foto: J. B. Sodré
Calycophyllum spruceanum
 
Descrição
Árvore originária do Brasil, dotada de silhueta muito elegante, atingindo até 30 metros de altura, com tronco retilíneo e liso, textura bronzeada, extremamente decorativo, sustentando folhas simples e lisas. Inflorescência com cachos de pequenas flores brancas, de pouca importância, se comparada ao conjunto da planta. Propaga-se por sementes que devem ser colhidas antes da liberação pelos frutos.
 
Uso paisagístico
No paisagismo pode ser empregado com grande sucesso, criando referência de notável interessa na área plantada. Ideal para formação de alamedas, grupos ou plantio isolado. Indicado também para reflorestamento heterogêneo, na recomposição de áreas degradadas.
 
 
 
Foto: J. B. Sodré
Gardenia augusta
 
Descrição
Planta arbustiva perene, originária da China, semi-lenhosa, bastante ramificada, com até 2 m de altura, apresentando folhas coriáceas, verde-escuras ou brilhantes, muito decorativas. Floração perfumada, dispostas isoladamente, simples ou dobradas, brancas e de textura cerosa; essas flores ficam em tons acastanhados, com o passar dos dias. Propaga-se por estacas de ramos no início da primavera.    
 
Uso paisagístico
Espécie tradicionalmente cultivada em nossos jardins desde longa data, comumente cultivada nos pequenos espaços como exemplar isolado, ou nos locais amplos, formando grupos, renques ou cercas-vivas, sempre a sol pleno.
 
 
 
Foto: J. B. Sodré
Hoffmannia arborescens
 
Descrição
Planta arbustiva, de porte grande, com cerca de 5 m de altura, caule ereto e pouco ramificado, originária da Costa Rica e outras regiões da América Central. Folhagem altamente decorativa, grande, com nervação visível na parte superior e vermelho-escura na parte inferior. Floração surgindo diretamente da extremidade do caule. Propaga-se por sementes ou estacas.
 
Uso paisagístico
Planta cultivada à meia-sombra, de grande potencial ornamental, devido à beleza inusitada de sua folhagem, formando grupos isolados ou criando plano de fundo na composição.
 
 
 
Foto: J. B. Sodré
Ixora chinensis
 
Descrição
Planta arbustiva perene, originária da Malásia e China, semi-lenhosa, atingindo cerca de 2 metros de altura, com ramagem compacta e folhas simples, coriáceas, de cor verde-clara quando novas. Inflorescência globosa, terminal nas cores vermelho-alaranjada, rosa ou amarela, bastante vistosa. Propaga-se por estacas de pontas de ramos, nas épocas quentes.
 
Uso paisagístico
Planta para locais ensolarados, formando conjuntos e renques; espécies maiores são ideais para cultivo isolado, produzindo relevante efeito decorativo, devido à floração que perpetua na maior parte do ano. 
 
 
 
Foto: J. B. Sodré
Mussaenda alicia
 
Descrição
Planta arbustiva, originária da Ásia e África, semi-lenhosa, de ramagem compacta, podendo ultrapassar 2 m de altura. Folhas decorativas, decíduas, de textura aveludada e nervuras sulcadas e contrastantes. Inflorescência agrupada nas extremidades dos ramos representada por flores discretas, amarelas, na forma de pequenas estrelas, rodeada por sépalas grandes e vistosas, na cor rosa, bastante duráveis. Propaga-se por estacas, preferencialmente em locais protegidos.
 
Uso paisagístico
Planta indicada para regiões tropicais, cultivada a pleno sol, como espécie isolada ou formando conjuntos em áreas maiores. Pode ser plantada em vasos grandes, nas mesmas condições de cultivo.
 
 
 
Foto: J. B. Sodré
Pentas lanceolata
 
Descrição
Espécie perene, originária da África Tropical, de porte subarbustivo, ramificada, com até 0,8 m de altura, apresentando ramagem pubescente e folhagem decorativa, representada por folhas de nervuras sulcadas e contrastantes, verdes, às vezes, variegadas. Inflorescências terminais, densas, formadas por flores pequenas, nas cores vermelha, rosa ou branca. Propaga-se facilmente por estacas ou sementes, que germinam naturalmente, junto à planta-matriz.
 
Uso paisagístico
Planta para cultivo a pleno sol, na formação de maciços, bordaduras, renques; também requisitada para jardineiras, nas mesmas condições de cultivo.
 
 
 
Foto: J. B. Sodré
Serissa foetida
 
Descrição
Planta arbustiva, originária do Japão, perene, semi-lenhoso, com até 0,8 m de altura, apresentando ramagem fina e densa. Suas folhas são elípticas, pequenas, verdes ou variegadas, bastante ornamentais. Flores solitárias ou agrupadas, simples ou dobradas, nas cores brancas, pouco representativas para o conjunto da planta. Propaga-se por estacas, preparadas no início das épocas quentes.
 
Uso paisagístico
Nos jardins a serissa é apropriada para a formação de renques ou bordaduras junto a muros, paredes ou grades, em locais ensolarados; também utilizada para compor vasos. É uma das plantas freqüentemente usada em bonsai.
 
Outras espécies
 
Foto: J. B. Sodré
Genipa americana
 
 
 
Foto: J. B. Sodré
Mussaenda erythrophylla
 
 
 
Foto: J. B. Sodré
Mussaenda frondosa
 
 
 
Foto: J. B. Sodré
Mussaenda philippica