ufla

 

 

 

   
  ROSACEAE
   
 
Classificação Botânica

Divisão: Magnoliophyta
Classe: Magnoliopsida
Ordem: Rosales
Família: Rosaceae
Gênero: Cotoneaster
Espécie: C. horizontalis
 
Descrição botânica
Família que contabiliza grande número de espécies, representada por árvores, arbustos, subarbustos e lianas, freqüentemente apresentando acúleos ou espinhos. Suas folhas podem ser simples ou compostas, geralmente com estípulas, com inserções comumente alternas. Inflorescência em geral cimosa, podendo apresentar também flores isoladas e axilares; flores freqüentemente vistosas, bissexuadas ou unissexuadas em plantas monóicas ou dióicas, actinomorfas, geralmente diclamídeas; cálice dialissépalo, com 5 a 10 sépalas; corola dialipétala, com 5 a 10 pétalas, prefloração imbricada, estames numerosos, livres ente si, anteras geralmente rimosas; nectários freqüentemente presentes; gineceu dialicarpelar ou gamocarpelar, formado por numerosos carpelos, ovário súpero ou ínfero, placentação axial, parietal, pendular ou ereta, óvulos de 1 a numerosos. Frutos dos tipos folículo, drupa, aquênio, às vezes cápsula, freqüentemente com outras partes constituindo fruto a exemplo do receptáculo.
 
Ocorrência
A família Rosaceae apresenta distribuição cosmopolita, concentrada principalmente no Hemifério Norte, abarcando cerca de 3000 espécies em mais de 100 gêneros; no Brasil existem pouco mais de 20 espécies dentro de 8 gêneros.
 
Uso paisagístico
Rosaceae é muito representada sob o ponto de vista econômico, em função de várias espécies frutíferas largamente consumidas em todo o mundo, entre elas maçã, pêra, pêssego; algumas das espécies frutíferas poderiam também ser utilizada como ornamentais, principalmente durante a floração. Entre as ornamentais propriamente ditas, destacam-se a Pyracantha coccínea, Rosa Spiraea e Cotoneaster, utilizadas como exemplares de áreas abertas de jardins ensolarados, isoladas ou formando grupos. A Pyracantha é ideal para formar cercas-vivas defensivas, além das diversas espécies de Rosa, muito apreciadas como flor de corte.
 
Gêneros
 
 
Alchemilla, Aruncus, Cotoneaster, Kerria, Potentilla, Prunus, Pyracantha, Rosa, Spiraea.
 
 
Principais espécies
 
Foto: J. B. Sodré

Pyracantha coccinea

 
Descrição
Arbusto lenhoso, de grande porte, com até 5 m. de altura, de ramos pendentes e flexíveis, recobertos por espinhos curtos, porém vigorosos. Folhas pequenas, coriáceas e de margens discretamente denteadas. Inflorescências constituídas por pequenas flores brancas, despontando ao longo dos ramos, dando origem a frutos vermelhos, que persistem por longo tempo, na planta. Propaga-se por sementes ou alporquia.
 
Uso paisagístico
As plantas adultas formam grupos isolados de grande efeito decorativo, devido à exuberância da frutificação que cobre toda a planta. São muito interessantes para dividir e isolar espaços na condição de cerca-viva defensiva, cultivadas sempre a sol pleno.
 
 
 
Foto: J. B. Sodré
Rosa x grandiflora
 
Descrição
Arbusto perene, obtido por hibridação, de crescimento ereto, com até 2 m. de altura, apresentando ramagem densa e espinhenta. Folhas compostas, pinadas e de bordas denteadas. Inflorescências terminais, com flores solitárias ou em grupos, simples ou dobradas, freqüentemente perfumadas, em quase todas as cores possíveis, inclusive mescladas em mais de uma tonalidade. Propaga-se por enxertia.
 
Uso paisagístico
São empregadas a sol pleno, em conjuntos isolados, criando maciços ou bordaduras no meio de canteiros ou formando renque junto a muros, paredes, cercas ou grades. A rosa é uma das mais importantes plantas floríferas no mercado de flores de corte em todo mundo.
 
 
 
Foto: J. B. Sodré
Spiraea x vanhouttei
 
Descrição
Arbusto lenhoso, obtido por hibridação, ramificado, alcançando entre 0,60 a 1,50 m. de altura, com numerosas hastes dispersas, lisas e arqueadas. Folhas lanceoladas, decíduas, de bordas serrilhadas, lisas e verde-azuladas na face de baixo. Inflorescências dispostas nas extremidades de ramos curtos, formados em toda a extensão das hastes, com flores brancas, pequenas e densas. Propaga-se por estacas ou alporquia.
 
Uso paisagístico
Utilizada como exemplar isolado ou em grupos, criando maciços ou renque ao longo de muros, paredes, cercas ou grades, a pleno sol. Requisitada também em jardineiras amplas e suspensas.
 
Outras espécies
 
Foto: J. B. Sodré
Fragaria vesca
 
 
 
Foto: J. B. Sodré
Rosa multiflora
 
 
 
Foto: J. B. Sodré
Rubus idaeus