ufla

 

 

 

   
  MYRSINACEAE
   
 
Classificação Botânica

Divisão: Magnoliophyta 
Classe: Magnoliopsida 
Ordem: Ericales 
Família: Myrsinaceae 
Gênero: Ardisia
Espécie: A. humilis
 
Descrição botânica
Família constituída por plantas herbáceas, arbustivas ou árvores, raramente lianas e que incorporou alguns gêneros que antes pertenciam à família Primulaceae, como são os exemplos do Cyclamen, Lysimachia. Apresentam folhas simples, sem estípulas e geralmente com margens inteiras, alternas, ocasionalmente verticiladas ou opostas. Inflorescência cimosa ou paniculada, terminal ou axilar, com flores vistosas ou não, unissexuadas ou bissexuadas, actinomorfas; cálice com 4 ou 5 sépalas, dialissépalo (às vezes, com sépalas unidas na base); corola com 4 ou 5 pétalas (às vezes, com pétalas unidas na base), prefloração geralmente imbricada; estames em 4 ou 5, epipétalos, anteras poricidas ou rimosas; ovário freqüentemente súpero, unilocular, placentação central e livre, pluriovulado. Fruto dos tipos baga, drupa ou cápsula.
 
Ocorrência
Com ocorrência cosmopolita, chegando a quase 1500 espécies dentro de apenas 40 gêneros aproximadamente; no Brasil, 70 espécies fazem parte de 8 gêneros de plantas pouco conhecidas no paisagismo.
 
Uso paisagístico
Os gêneros mais tradicionais são os de origem exótica como as espécies Ardisia crenata, arbusto florífero usado no paisagismo pela sua folhagem e frutificação vistosas, além de Cyclamen e Lysimachia, requisitadas para vasos floríferos e forrações em locais à meia-sombra e ensolarados, respectivamente.
 
Gêneros
 
 
Ardisia, Cyclamen, Lysimachia, Myrsine.
 
 
Principais espécies
 
Foto: J. B. Sodré
Ardisia crenata
 
Descrição
Espécie arbustiva, de pequeno porte, perene, semi-herbácea, ereta, com até 1,50 m. de altura, originária do Japão e China. Suas folhas são pequenas, verdes, cerosas e de bordas crenadas. Inflorescências em cachos delicados, compostas por flores miúdas, brancas, levemente perfumadas que vão dar origem a frutinhos esféricos, de coloração vermelha-brilhante, duráveis e muito decorativos. Propaga-se com facilidade através de sementes.
 
Uso paisagístico
Planta cultivada à meia-sombra ou pleno sol, em grupos, maciços, bordaduras ou renques; nos espaços pequenos pode ser utilizada como exemplar isolado, assim como em jardineiras e vasos de espaços internos bem iluminados, ainda em sacadas e pátios.
 
 
 
Foto: J. B. Sodré
Cyclamen persicum
 
Descrição
Planta originária do Mediterrâneo, herbácea, tuberosa, acaule, florífera e de ciclo anual, com até 0,25 m. de altura. Apresenta folhagem muito decorativa, com tons diferentes de verde e desenhos contrastantes, caracterizada por pecíolos longos. Flores agrupadas em pedúnculos, também longos, acima da folhagem, carregando flores vistosas em vermelho, rosa, salmão, púrpura ou branca. Propaga-se por sementes em ambientes de estufas, vindo a florescer após um ano.
 
Uso paisagístico
Espécie de vaso por excelência, cultivada por todo o mundo como florífera de interior, temporária, vindo a desaparecer após o florescimento. Também cultivada em jardineiras, em locais à meia-sombra.
 
 
 
Foto: J. B. Sodré
Lysimachia congestiflora
 
Descrição
Espécie herbácea, de hábito reptante, originária da China, muito ramificada, espalhando rapidamente sobre superfície plantada. Folhas agrupadas densamente nos ramos, longos e finos. Inflorescências terminais e axilares, formadas por flores amarelas, muito vistosas. Propaga-se facilmente pela ramagem contendo raízes ou por estacas.
 
Uso paisagístico
Planta usada como forração de canteiros, tanto à meia-sombra quanto a pleno sol, também em recipientes suspensos de vasos e jardineiras na condição de planta pendente.