ufla

 

 

 

   
  LYTRACEAE
   
 
Classificação Botânica          

Divisão: Magnoliophyta        
Classe: Magnoliopsida          
Ordem: Myrtales       
Família: Lythraceae   
Gênero: Cuphea
Espécie: C. melvilla
 
Descrição botânica
Família formada por ervas, arbustos e árvores; folhas simples, de margens inteiras, raramente estipuladas, com inserção comumente opostas, às vezes, alternas ou verticiladas. Inflorescência racemosa, menos frequentemente com flores isoladas; flores geralmente vistosas, bissexuadas, actinomorfas ou zigomorfas, diclamídeas, raramente monoclamídeas; cálice dialissépalo, com 4 a 8 sépalas, ou ainda, menos de 4 ou mais de 8; corola dialipétala, com 4 a 7 pétalas, prefloração imbricada, estames em número dobrado ao de pétalas, raramente numerosos como ocorre em Lafoensia e Punica, anteras rimosas, nectários geralmente presentes; ovário frequentemente súpero, exceção em Punica, plurilocular, bi ou pluriovulado, placentação geralmente axial. Fruto comumente cápsula, a exceção de Punica (baga).
 
Ocorrência
Família que abarca plantas originárias de todos os trópicos, além de algumas espécies provenientes também, de regiões temperadas. São conhecidas aproximadamente 600 espécies (incluindo plantas de famílias que foram incorporadas, a exemplo de Panicaceae) em 30 gêneros conhecidos.
 
Uso paisagístico
Várias espécies de Lythraceae fazem parte da paisagem ornamental de jardins brasileiros como, espécies do gênero Cuphea, usada como forração; espécies arbóreas, muito representadas nas áreas urbanas, a exemplo de Lagerstroemia indica e L. speciosa, Lafoensia glyptocarpa e L. pacari, além da conhecida espécie arbustiva e ornamental, Punica granatum.
 
Gêneros
 
 
Adenaria, Cuphea, Diplusodon, Heimia, Lafoensia, Lagerstroemia, Physocalymma, Punica.
 
 
Principais espécies
 
Foto: J. B. Sodré
Cuphea gracilis
 
Descrição
Espécie perene, muito ramificada, com até 0,30 m de altura, semilenhosa. Sua ramagem rígida, é revestida de inúmeras folhas verdes, muito pequenas. As flores, também diminutas, despontando em profusão, nas cores lilases ou brancas, durante quase todo o ano. Propaga-se por estacas de ponta ou por sementes, que podem surgir espontaneamente junto às plantas adultas.
 
Uso paisagístico
Planta ideal para cultivo a pleno sol ou meia-sombra, na composição de bordaduras ou conjuntos. Também requisitada para vasos ou jardineiras.
 
 
 
Foto: J. B. Sodré

Lagerstroemia speciosa

 
Descrição
Árvore de pequeno a médio porte, com até 12 m de altura, originária da Índia. Folhagem caducifólia, densa, representada por folhas elípticas, com até 0,12 m de comprimento. Inflorescência em panículas vistosas, terminais, nas cores variáveis que vão do rosa-arroxeado, rosa-forte até, quase branca. Propaga-se por sementes, com certa dificuldade.
 
Uso paisagístico

Árvore de grande potencial ornamental, devido a sua floração exuberante que ocorre de novembro a janeiro. É uma das árvores mais utilizadas na arborização urbana devido ao porte comedido, rusticidade e crescimento rápido.

 
 
 
Foto: J. B. Sodré
Lafoensia glyptocarpa
 
Descrição
Conhecida popularmente por “mirindiba-rosa”, é uma espécie arbórea de porte médio, com até 15 m de altura, nativa do Brasil. Apresenta tronco com textura sulcada, pardo-acinzentada. Folhas simples, com margens onduladas, na cor verde-brilhante, formando copa arredondada. As formigas apreciam hospedá-la em função de uma glândula existente no ápice da planta, de sabor adocicado. Suas flores são brancas com longos e numerosos estames, dispostas em inflorescência vistosa a qual tem início por botões avermelhados. Propaga-se por sementes em ambientes protegidos do sol forte.
 
Uso paisagístico
Árvore de grande utilidade na arborização urbana, em ruas, avenidas, praças e parques. Também requisitada para recuperação de áreas degradadas.
 
 
 
Foto: J. B. Sodré

Punica granatum

 
Descrição
Planta arbustiva, de grande porte, com até 4 m de altura, lenhosa, bastante ramificada, originária da Europa e Oriente Médio. Apresenta folhagem vistosa, brilhante, além de florescimento e frutificação decorativos. As flores concentram-se em grupos, nas extremidades dos ramos, nas cores vermelho-alaranjado, as quais se transformam em frutos suculentos e também decorativos. Propaga-se por sementes ou por estacas em ambientes de estufa.
 
Uso paisagístico
Planta ideal para composição isolada devido a sua farta ramificação, fazendo da planta um elemento de destaque nos jardins. Também usada na formação de renques ou cercas-vivas, sempre a pleno sol.
 
Outras espécies
 
Foto: J. B. Sodré
Cuphea gracilis 'alba'
 
 
 
Foto: J. B. Sodré
Lagerstroemia indica