ufla

 

 

 

   
  HYACINTHACEAE
   
 
Classificação Científica

Divisão: Magnoliophyta
Classe: Liliopsida
Ordem: Asparagales
Família: Hyacinthaceae
Gênero: Hyacinthus
Espécie: H. orientalis
 
Descrição botânica
Família representada por espécies, oriundas de Liliaceae, abrangendo plantas geralmente bulbosas, às vezes, rizomatosas. Folhas de margens inteiras, geralmente lineares, alternas espiraladas, com nervuras paralelinérveas. Inflorescência disposta em escapo, acima da folhagem, formada por espigas ou cachos; flores vistosas, bissexuadas, actinomorfas, diclamídeas homoclamídeas; cálice e corola trímeros; estame geralmente em número de 6; gineceu gamocarpelar, tricarpelar, ovário súpero, com 3 lóculos, unipluriovulados, placentação axial. Fruto do tipo cápsula.
 
Ocorrência
Plantas com ocorrência predominante na África, Mediterrâneo e Sudoeste da Ásia, com aproximadamente 900 espécies, distribuídas em mais de 50 gêneros. Não existem plantas nativas do Brasil, sendo cultivadas apenas algumas espécies em regiões mais frias do sul do país.
 
Uso paisagístico
Pelo fato do clima não ser favorável, o uso das plantas dessa família encontram restrições em nossos cultivos, embora alguma delas sejam bastante conhecidas a exemplo de Hyacinthus, Scilla e Muscari. São geralmente cultivadas em vasos de interiores, durante a floração.
 
Gêneros
 
 
Albuca, Drimia, Eucomis, Hyacinthus, Lachenalia, Muscari, Ornithogalum, Scilla (Ledebouria), Urginea.
 
 
Principais espécies
 
Foto: J. B. Sodré
Hyacinthus orientalis
 
Descrição
Planta originária de regiões mediterrâneas da Europa, África e Ásia, herbácea, bulbosa, acaule, atingindo cerca de 30 a 40cm de altura, com folhas basais, lineares e espessas. Inflorescência densa, ereta e cilíndrica, formada por flores perfumadas e muito duradouras, nos mais diversos tons de vermelho, azul, rosa, amarelo ou laranja, além de branco. Existem muitas variedades obtidas por hibridação. Propaga-se por bulbos que surgem ao lado da planta-mãe.
 
Uso paisagístico
Plantas cultivadas em função da exuberante floração, preferencialmente sob luz difusa, podendo receber sol direto depois do estabelecimento de toda folhagem. São indicadas para regiões frias e de altitudes, plantadas em vasos ou jardineiras, ou ainda, criando maciços nos jardins, combinando com outras espécies bulbosas. Suas flores são utilizadas para arranjos florais.
 
 
 
Foto: J. B. Sodré
Scilla  violacea
 
Descrição
Espécie bulbosa, originária da África do Sul, perene, de pequeno porte, alcançando até 15cm de altura, com folhas carnosas, revestidas na página superior em verde-acinzentado, com manchas irregulares na cor verde-oliva; a página inferior da folha apresenta intensa coloração vinho. Inflorescência formada por cachos flexíveis, suportando flores pequenas de cálice e corola verde-branco, com estames e carpelos violáceos. Multiplica-se pela divisão de maciços ou bulbos.
 
 
 
Foto: J. B. Sodré
Bowiea volubilis