ufla

 

 

 

   
  HELICONIACEAE
   
 


Classificação Botânica

Divisão: Magnoliophyta
Classe: Liliopsida
Ordem: Zingiberales
Família: Heliconiaceae
Gênero: Heliconia
Espécie: H. rostrata

 
Descrição botânica
Família formada apenas pelo gênero Heliconia, considerada hoje, distinta de Musaceae, porém abrangendo muitas espécies e variedades híbridas, caracterizadas por herbáceas de portes médio a grande, rizomatosas, de crescimento simpodial, com pseudocaules originários de bainhas foliares, eretos ou inclinados e de natureza monocárpica. Folhas simples, grandes, com pecíolos longos, dísticas, marcadas por nervuras peniparalelinérveas. Inflorescência cimosa, terminal, protegida por brácteas naviculadas sempre muito decorativas e em diversas cores; flores comumente discretas, em amarelo ou branco, bissexuadas, zigomorfas, diclamídeas; cálice e corola trímeros, com uma sépala livre e duas unidas; 5 estames e 1 estaminódio, anteras rimosas com nectários septais presentes; gineceu gamocarpelar, ovário ínfero, trilocular, uniovulados, placentação basal. Frutos do tipo esquizocárpico com 2 ou 3 sementes.
 
Ocorrência
As espécies de Heliconia concentram-se na sua grande maioria nas regiões tropicais da América do Sul e Central, com predominância para as florestas amazônicas e mata atlântica do Brasil. Mais raramente algumas espécies são encontradas em Ilhas do Pacífico. O número de espécies conhecidas chega próximo de 200, sem contabilizar uma quantidade crescente de híbridos. Só no Brasil são conhecidas cerca de 30 espécies naturais.
 
Uso paisagístico
Plantas notáveis pela beleza da inflorescência que simboliza o mais autêntico tropicalismo nas composições de jardins localizados em áreas protegidas. São ideais para formação de conjuntos à frente de muros e paredes ou criando maciços em locais amplos, dependendo da espécie. Nos últimos anos tem sido grande o interesse de cultivo para flores de corte destinadas a composições de arranjos florais.
 
Gêneros
 
 
Heliconia
 
 
Principais espécies
 
Foto: J. B. Sodré
Heliconia angusta
 
Descrição
Planta procedente da mata atlântica do sul do Brasil, atingindo até 1,2m de altura, rizomatosa, formando touceiras através dos pseudocaules herbáceos e eretos. Folhas compridas, verde-escuras, um tanto recurvadas, com margens onduladas. Inflorescência ereta muito decorativa formada por brácteas vermelhas, lembrando barco, de onde despontam flores brancas, contrastantes, também vistosas. Reproduz-se pela divisão dos rizomas.
 
Uso paisagístico
Devido ao pequeno porte a H. angusta é ideal para a formação de maciços em meio ao jardim ou renque junto a paredes, muros e grades, em locais protegidos do sol direto. A inflorescência vistosa destaca-se sutilmente em meio à folhagem marcante de verde-escuro. Utilizada também como flor de corte devido a sua longa duração.
 
 
 
Foto: J. B. Sodré
Heliconia aurorae
 
Descrição
Planta nativa da mata atlântica, sudeste do Brasil, de porte pequeno até 1,2m de altura, rizomatosa, entouceirada, com pseudocaules eretos, de consistência herbácea. Folhas verde-escuras, lanceoladas e recurvadas. Inflorescência ereta altamente decorativa constituída por brácteas em forma de quilhas na cor alaranjada, abrigando flores de sépalas amarelas, também vistosas. Multiplica-se pela divisão dos rizomas.
 
Uso paisagístico
A H. aurorae é uma das espécies de pequeno porte que produz interessante efeito decorativo na formação de maciços e renques à meia-sombra. A inflorescência, bastante chamativa pela forma e colorido, se destaca acima da folhagem verde-escura; sua longa durabilidade a credencia como flor de corte para arranjos florais.
 
 
 
Foto: J. B. Sodré
Heliconia bihai 'Lobster Claw'
 
Descrição
Planta que apresenta algumas espécies nativas do Brasil, Hawaii e outras regiões da América do Sul, além de variedades híbridas, de porte robusto e alto, com até 3m de altura, herbácea, rizomatosa, formando touceiras densas. Folhas marcadas por nervuras visíveis e suportadas por longos pecíolos. Inflorescência ereta, comprida e robusta, formada por brácteas dispostas simetricamente de cada lado do eixo, lembrando barco, em tons vermelho e amarelo, abrigando flores de sépalas brancas ou esverdeadas conforme a variedade. Multiplica-se pela divisão dos rizomas no final do inverno ou primavera.
 
Uso paisagístico
Em função do porte alto a H. bihai deve ser cultivada como planta isolada em locais protegidos, tanto do sol direto quanto dos ventos fortes que provocam o rasgamento das folhas. O plantio em grupos ou formando renque é somente indicado para áreas maiores nas mesmas condições de cultivo. É uma das espécies mais requisitadas para flor de corte devido à durabilidade e o grande efeito decorativo da inflorescência.
 
 
 
Foto: J. B. Sodré
Heliconia psittacorum
 
Descrição
Planta representada por espécies originárias da América do Sul, principalmente do Brasil, além de variedades obtidas por hibridação, de porte baixo, com até 1,5m de altura, rizomatosas, entouceiradas pelos pseudocaules eretos, de textura herbácea, suportando folhas lanceoladas e coriáceas. Inflorescência ereta, em forma de barco, apoiada em haste longa, em tons vermelho e amarelo na espécie mais comum. As variedades híbridas apresentam brácteas totalmente amarelas, rosadas ou em amarelo e vermelho. Multiplica-se pela divisão da touceira em qualquer época do ano.
 
Uso paisagístico
Em função do porte baixo, desenvolvimento rápido, tolerância a sol pleno e floração que se estende por todo o ano, a H. psittacorum é talvez a espécie mais popular em nossos jardins. Ideais para formação de maciços e renques em pequenos e grandes espaços. Sua inflorescência é largamente utilizada para arranjos florais.
 
 
 
Foto: J. B. Sodré
Heliconia rostrata
 
Descrição
Planta originária da Amazônia, limite com o Brasil, considerada por isso uma espécie possivelmente nativa, podendo atingir até 3m de altura, entouceirada pelos rizomas que produzem pseudocaules herbáceos com desenvolvimento inclinado. Folhas coriáceas, elípticas e alongadas. Inflorescência pendente, altamente decorativa na forma de barco, disposta de maneira helicoidal, densa, revestida de cores vivas em vermelho e amarelo, envolvendo flores discretas. Reproduz-se pela divisão da planta.
 
Uso paisagístico
Planta de notável efeito decorativo considerada uma das mais belas plantas do gênero Heliconia é ideal para cultivo isolado ou formando agrupamento em locais protegidos, principalmente dos ventos, que causam o rasgamento da folhagem. Quando postada em locais ensolarados à irrigação deve ser mais abundante. Bastante utilizada para arranjos florais devido ao belo efeito ornamental da inflorescência aliada à sua longa durabilidade.
 
Outras espécies
 
Foto: J. B. Sodré
Heliconia bihai 'Chocolate Dancer'
 
 
 
Foto: J. B. Sodré
Heliconia caribaea
 
 
 
Foto: J. B. Sodré
Heliconia collinsiana
 
 
 
Foto: J. B. Sodré
Heliconia episcopalis
 
 
 
Foto: J. B. Sodré
Heliconia latispatha 'Orange Gyro'
 
 
 
Foto: J. B. Sodré
Heliconia lingulata 'Fan'
 
 
 
Foto: J. B. Sodré
Heliconia lingulata 'Spiral Fan'
 
 
 
Foto: J. B. Sodré
Heliconia psittacorum 'Alan Carle'
 
 
 
Foto: J. B. Sodré
Heliconia rostrata 'nana'
 
 
 
Foto: J. B. Sodré
Heliconia stricta
 
 
 
Foto: J. B. Sodré
Heliconia wagneriana