ufla

 

 

 

   
  COMBRETACEAE
   
 
Classificação Científica

Divisão: Magnoliophyta        
Classe: Magnoliopsida          
Ordem: Myrtales       
Família: Combretaceae          
Gênero: Terminalia
Espécie: T. catappa
 
Descrição botânica

Família formada por árvores, arbustos e lianas; folhas simples, com margens inteiras, peninérveas, às vezes, com vestígios de estípulas, opostas, alternas ou verticiladas, geralmente concentradas em grupos nos extremos dos ramos (Terminalia). Inflorescências racemosas, geralmente espigadas, menos frequentemente cimosas, às vezes, vistosas (Combretum fruticosum); flores bissexuadas, raramente unissexuadas, frequentemente actinomorfas, monoclamídeas ou diclamídeas; cálice geralmente com 4 a 5 sépalas, corola de 4 a 5 pétalas, prefloração valvar ou imbricada; estames geralmente em número duplo ao número de pétalas, exsertos e vistosos, à exemplo de Combretum spp, anteras rimosas; nectários em geral presentes; ovário ínfero, unilocular, multiovulado, 2 a 5 carpelos, placentação pêndula. Fruto do tipo drupa ou sâmara.

 
Ocorrência

A família Combretaceae apresenta distribuição pantropical, com aproximadamente 20 gêneros e cerca de 480 espécies. No Brasil existem aproximadamente 60 espécies em 6 gêneros conhecidos.

 
Uso paisagístico

Entre as espécies cultivadas no paisagismo, são conhecidas a Terminalia catappa, árvore de porte elegante, muito apreciada principalmente nas orlas marítimas; as lianas Combretum fruticosum e Quisqualis indica são requisitadas para jardim a sol pleno, junto a cercas, grades e pérgulas.

 
Gêneros
 
 

Buchenavia, Bucida, Combretum, Conocarpus, Laguncularia, Quisqualis, Terminalia, Thiloa.

 
 
Principais espécies
 
Foto: J. B. Sodré
Combretum fruticosum
 
Descrição

Liana de natureza rústica, lenhosa, com ramagem longa e exuberante, nativa do Brasil. Folhagem densa, perene, surgindo na cor bronzeada, tornando-se verde, quando madura. Inflorescência espigada e muito decorativa, lembrando escova, formada por numerosos estames brilhantes e alaranjados. Propaga-se por estacas postas para enraizar em ambientes protegidos.

 
Uso paisagístico

Planta para locais ensolarados, com emprego diversificado no paisagismo, podendo ser usada junto a cercas, grades, portais e pérgulas. Pode ser aproveitada, também, produzindo volumes, como planta arbustiva mantida sob poda frequente.

 
 
 
Foto: J. B. Sodré
Quisqualis indica
 
Descrição

Planta escandente, de ramagem longa e farta, apresentando crescimento muito vigoroso, originária da Índia. Folhagem muito densa, com folhas ovaladas e pubescentes. Inflorescência muito vistosa, constituída por flores tubulosas, começando na cor branca e terminando vermelhas. Propaga-se por mergulhia, alporquia, ou estacas, postas para enraizar em ambientes de estufa.

 
Uso paisagístico

Planta cultivada a pleno sol, conduzida como liana junto a cercas, grades, pórticos e pérgulas. Ideal também para criar volumes na composição como planta isolada, ou formando conjuntos junto a muros e paredes, neste caso, mantida sob poda.

 
 
 
Foto: J. B. Sodré
Terminalia catappa
 
Descrição

Árvore com altura média de 15 metros, originária da Ásia, de tronco ereto, ramagem longa e horizontal, agrupada em espaços regulares do tronco, criando uma arquitetura característica e muito ornamental. Folhas decíduas, coriáceas, grandes, tornando-se avermelhadas no outono, antes do desprendimento. Inflorescência em espigas alongadas, axilares, formada por flores discretas, sem valor ornamental. Propaga-se com facilidade por sementes.

 
Uso paisagístico

Planta de uso frequente nas regiões litorâneas, tolerante a ventos fortes, longas estiagens e, sobretudo, à salinidade do solo e do ar. Produz belos efeitos quando plantada isolada ou em grupos. Não é indicada para locais frios.