ufla

 

 

 

   
  CANNACEAE
   
 


Classificação Científica

Divisão: Magnoliophyta
Classe: Liliopsida
Ordem: Zingiberales
Família: Cannaceae
Gênero: Canna
Espécie: Canna x generalis

 
Descrição botânica
Família de plantas formada por ervas de médio porte com até 1,80m de altura, perenes, rizomatosas, de crescimento simpodial, com pseudocaules semi-suculentos e eretos. Folhas inteiras, largas ou lanceoladas, alternas e espiraladas, com nervação peniparalelinérvea, nas cores verde, verde-azulada, avermelhada ou variegada. Inflorescência cimosa ou racemosa, terminal, ereta, representada por flores assimétricas, de cores geralmente vibrantes, em tons vermelho, amarelo, laranja ou rosa, bissexuadas, diclamídeas e heteroclamídeas; cálice e corola trímeros, dialissépalo e gamopétala respectivamente; sépalas e pétalas menores que os estaminódios, bem mais desenvolvidos, semelhantes a pétalas, muito vistosos, em número de 3 a 4 (petalóides), mais um estame fértil, unidos entre si e às pétalas; nectários septais presentes; gineceu gamocarpelar (petalóide), ovário ínfero com 3 lóculos, pluriovulados, plancetação axial. Fruto tipo cápsula.
 
Ocorrência
As espécies do gênero Canna são originárias da América Tropical, do sudeste do EUA até a América do Sul. Contudo, mesmo levando em conta sua origem neotropical, a família cresce de forma subespontânea por todas as outras regiões tropicais e subtropicais da terra, onde surgiram espécies mais adaptadas ao clima local. No Brasil existem cerca de 20 espécies do gênero, mais concentradas na região sudeste e sul, entre elas, algumas de hábito aquático, a exemplo de C. glauca.
 
Uso paisagístico
O gênero Canna abarca espécies cultivadas pelo valor decorativo da folhagem e pela exuberância das flores, principalmente nas variedades híbridas. Compõem belos maciços, bordaduras e renques, de preferência nos locais amplos e bastante ensolarados. Espécies provenientes de áreas alagadas são ideais para bordaduras de espelhos d’água, lagos e canais.
 
Gêneros
 
 
Canna
 
 
Principais espécies
 
Foto: J. B. Sodré
Canna x generalis
 
Descrição
Plantas surgidas através de melhoramento genético a partir de várias espécies nativas da América, perenes, herbáceas e rizomatosas, entouceiradas por hastes eretas, semi-suculentas, com cerca de 1,20m de altura. Folhas ornamentais verde, bronzeada ou variegada. Inflorescência terminal com flores grandes, muito vistosas, agrupadas em hastes eretas, nas cores vermelha, amarela, rósea ou laranja. Propagam-se em qualquer época do ano pela divisão dos rizomas.
 
Uso paisagístico
Plantas indicadas para espaços amplos de parques, avenidas e jardins campestres na formação de maciços e renques em locais abertos e ensolarados. As variedades de folhas coloridas e variegadas produzem belas composições independentes da floração. Devem ser podadas a cada ano, durante o inverno, para restabelecer a forma da planta.
 
 
 
Foto: J. B. Sodré
Canna hybrida "variegata"
 
Descrição
Variedade proveniente de melhoramento genético, de porte robusto, com até 1,50m de altura, herbácia, rizomatosa, com touceira densa e folhagem larga, inteira revestida de manchas variegadas verde e branco-amarelada, altamente decorativa. Multiplica-se em qualquer época do ano pela divisão dos rizomas. 
 
Uso paisagístico
Planta muito apreciada para formação de conjuntos isolados ou maciços de grandes áreas localizadas à pleno sol. Quando bem cultivada suas folhas produzem notável efeito decorativo. Deve-se proceder poda anual para limpeza e revitalização da planta.
 
Outras espécies
 
Foto: J. B. Sodré
Canna paniculata
 
 
 
Foto: J. B. Sodré
Canna polyclada