ufla

 

 

 

   
  ARALIACEAE
   
 
Classificação Botânica

Divisão: Magnoliophyta 
Classe: Magnoliopsida 
Ordem: Apiales
Família: Araliaceae 
Gênero: Tetrapanax
Espécie: T. papyriferum
 
Descrição botânica
Família de espécies arbustivas ou arbóreas, às vezes ervas e lianas, caracterizadas por folhas de formas variadas e flores pequenas, produzidas em grande panículas. Folhas alternas, raramente opostas ou verticiladas, geralmente compostas e menos freqüentemente simples, com ou sem estípulas. Inflorescência em umbela simples ou composta; flores minúsculas, sem interesse decorativo, comumente bissexuadas, actinomorfas, diclamídeas, ocasionalmente monoclamídeas, cálice pentâmero, dialissépalo, comumente pouco desenvolvido; corola geralmente pentâmera, freqüentemente dialipétala, prefloração imbricada ou valvar; estames numerosos; ovário normalmente ínfero; pluricarpelar, plurilocular, placentação pêndula, lóculos geralmente uniovulados. Frutos do tipo baga ou drupa, ocasionalmente esquizocárpico.
 
Ocorrência
Araliaceae apresenta distribuição cosmopolita, concentrada principalmente nas regiões tropicais, abarcando quase cerca de 1500 espécies repartidas em quase 50 gêneros; no Brasil são conhecidas aproximadamente 50 espécies distribuídas em 6 gêneros.
 
Uso paisagístico
Algumas espécies são adequadas para plantio isolado ou em grupos, além de comporem plano de fundo e cercas-vivas; outras são ideais para forrações ou para subir em muros e paredes; quando jovens podem ser utilizadas como plantas de vasos.
 
Gêneros
 
 
Aralia, Cussonia, Dendropanax, Dizygotheca, Fatsia, Hedera, Polyscias, Schefflera, Tetrapanax, Pentapanax, Trevesia.
 
 
Principais espécies
 
Foto: J. B. Sodré
Dizyotheca elegantissima
 
Descrição
Espécie arbustiva, lenhosa, com o passar dos anos, esguia, com até 5 m. de altura, originária das Ilhas Novas Hébridas. Folhas divididas em numerosos folíolos estreitos, de margens denteadas e onduladas nas cores verde ou marron-avermelhada. Inflorescência ramificada, sem interesse ornamental. Propaga-se por sementes e por estacas postas para enraizar em ambientes de estufa.
 
Uso paisagístico
Quando novas os folíolos são bem finos e delicados, de cor metalizada, podendo ser utilizadas como plantas de vaso, fazendo composição com outras espécies menores; quando adultas, os folíolos vão se tornando verdes e muito mais largos, sendo ideais para canteiros a céu aberto, isolada ou formando conjuntos ao longo de muros e paredes.
 
 
 
Foto: J. B. Sodré
Hedera canariensis
 
Descrição
Espécie originária das Ilhas Canárias e África, semi-lenhosa, de comportamento reptante ou ascendente, apresentando muita variedade na folhagem, com formas e tamanhos diversos. Suas folhas são lobadas, nas cores verde ou variegada. Inflorescência de valor secundário e dificilmente vista em nossas regiões. Propaga-se pela separação da ramagem já enraizada.
 
Uso paisagístico
Planta cultivada pela folhagem, ideal para vasos e jardineiras suspensas, para subir em muros, paredes ou suportes; também utilizada como forração de canteiros ou revestimento de taludes, à meia sombra ou pleno sol.
 
 
 
Foto: J. B. Sodré
Polyscias scutellaria
 
Descrição
Planta arbustiva, semi-lenhosa, ereta, ramificada, com até 2,5 m. de altura, originária da Nova Caledônia. Espécie cultivada pela folhagem, constituída de desenhos arredondados e margens onduladas. Inflorescência sem valor ornamental, com surgimento ocasional e muito raro em nossas regiões. Propaga-se facilmente por estacas. A foto apresentada acima é uma forma variegada com margens brancas.
 
Uso paisagístico
Espécie tradicionalmente cultivada como exemplar de vasos, nos interiores das residências; nos jardins deve ser cultivada à meia-sombra como planta isolada ou em grupos.
 
 
 
Foto: J. B. Sodré
Schefflera actinophylla
 
Descrição
Planta arbustiva, de grande porte, lembrando formato de arvore, semi-lenhosa, originaria da Austrália com até 8m. de altura. Folhagem ornamental formada por folhas compostas digitadas, coriáceas, presas a longos pecíolos. Inflorescência terminal, volumosa e ramificada, de relevante valor decorativo. Propaga-se freqüentemente por sementes e eventualmente por alporquia ou estacas.
 
Uso paisagístico
Espécie ideal para composição de espaços amplos, como exemplar isolado, formando grupos ou renques; quando jovens, são utilizadas também como planta de vaso.
 
 
 
Foto: J. B. Sodré
Schefflera arboricola
 
Descrição
Espécie arbustiva, semi-lenhosa, ramificada, com até 8 m. de altura, originária da Austrália e Taiwan. Folhagem muito ornamental, formada por folhas compostas do tipo palmada, coriáceas, verdes ou variegadas. Inflorescência terminal, formada por flores pequenas branco-creme seguidas de frutificação alaranjada, muito ornamental, volumosa, nas cores vermelha ou amarela, conforme a espécie. Propaga-se por estacas ou rebentos.
 
Uso paisagístico
Planta apreciada pela folhagem de desenhos amplamente decorativos, cultivada em jardins como exemplar isolado, em grupos, formando renques, maciços, à meia-sombra ou pleno sol. Requisitadas também como planta de vaso para interiores bem iluminados.
 
Outras espécies
 
Foto: J. B. Sodré
Polyscias guilfoylei
 
 
 
Foto: J. B. Sodré
Schefflera arboricola "variegata"