ufla

 

 

 

   
  ARACEAE
   
 
Classificação Botânica

Divisão: Magnoliophyta
Classe: Liliopsida 
Ordem: Alismatales 
Família: Araceae 
Gênero: Caladium 
Espécie: C. lindeni
 
Descrição botânica
Araceae é a família mais importante da ordem Alismatales formada por espécies herbáceas terrestres de formas arbustivas, entouceiradas ou acaules, rizomatosas, ou bulbosas; outras, de hábitos ascendentes, reptantes ou escandentes, apresentando raízes aéreas adventícias que surgem ao longo do caule. Muito raramente são aquáticas. Suas folhas são pecioladas, geralmente grandes, inteiras, recortadas ou lobadas, com inserção alterna, dística ou espiralada, com nervações paralelinérveas, peninérveas ou peniparalelinérveas. Inflorescência tipo espádice envolvida por bráctea (espatas), quase sempre vistosas, nas cores branca, amarela, vermelha, rosa, esverdeada ou bicolor, com flores agrupadas na espádice, sésseis e insignificantes, bissexuadas ou unissexuadas, freqüentemente em plantas monóicas, actinomorfas, monoclamídeas ou aclamídeas; cálice de 4 a 8 sépalas, gamossépalo ou dialissépalo, prefloração imbricada ou valvar; estames em número bem variados, até 12, livres ou unidos entre si. Anteras rimosas ou poricidas, gamocarpelar, ovário súpero, lóculos uni a pluriovulados, placentação axial. Frutos do tipo baga, raramente drupa, às vezes, formando sincarpo.     
 
Ocorrência
A família Araceae comporta 104 gêneros e cerca de 3500 espécies, com mais de dois terços deles, originarias de regiões neotropicais, ainda que se tenha conhecimento de algumas espécies que se distribuem também pela Europa e Ásia, sendo considerada uma família cosmopolita. No Brasil ocorre aproximadamente 400 espécies em cerca de 34 gêneros.
 
Uso paisagístico
As aráceas ostentam importância significativa no paisagismo devido ao grande número de espécies conhecidas, ocupando lugares cativos nos interiores das residência e nos espaços ajardinados, à meia-sombra. Umas constituem volume de planos de fundo, enquanto que outras servem para criar maciços de médio e pequeno porte no meio dos canteiros. Quase sempre são perenes, possibilitando seu vasto emprego nas composições paisagísticas.
 
Gêneros
 
 
Aglaonema, Alocasia, Anthurium, Arum, Caladium, Calla, Colocasia, Dieffenbachia, Epipremnum, Monstera, Montrichardia, Philodendron, Pistia, Rhaphidophora, Scindapsus, Spatiphyllum, Syngonium, Taccarum, Typhanodorum, Xanthosoma, Zamiocucas, Zantedeschia
 
 
Principais espécies
 
Foto: J. B. Sodré
Aglaonema crispum
 
Descrição
Planta perene, bastante compacta, originária das Filipinas, com até 0,60 m de altura, apresentando folhagem glabra, espessa, com desenhos diversos. A espécie descrita apresenta mancha prateada ao longo da nervura central, em contraste com o restante do limbo na cor verde-azeitona. Inflorescência localizada entre as folhas, do tipo espádice, pouco interessante para o conjunto. Propaga-se por rebentos laterais e estacas de caule.  
 
Uso paisagístico

Deve ser cultivada em locais totalmente protegidos do sol direto, criando maciços baixos, produzindo contraste com outras plantas verdes, devido às suas folhas variegadas, muito decorativas. Também utilizada como exemplar de interior, plantada em vasos ou jardineiras, em função de sua pouca exigência de luminosidade.

 
 
 
Foto: J. B. Sodré
Alocasia cucullata
 
Descrição
Planta perene, rizomatosa, originária da Índia e Burma, atingindo até 0,80 m de altura, com folhagem densa, verde-escura, cordiforme, marcada por nervuras salientes. Inflorescência em espádice, sem importância ornamental. Propaga-se facilmente pela divisão da planta-matriz ou por mudas que surgem a seu lado.       
 
Uso paisagístico
Espécie ideal para cultivo em locais protegidos do sol direto, em jardineiras ou canteiros, criando maciços ou renques. Comumente utilizada em vasos para interiores.
 
 
 
Foto: J. B. Sodré
Anthurium andraeanum
 
Descrição
Espécie perene, ereta, originária da Colômbia, de 0,30 a 0,80 m de altura, conforme a variedade, com folhas coriáceas, nos formatos cordiforme ou sagitado, pecíolo longo, bastante decorativas. Inflorescências em espádice sustentando flores minúsculas, protegidas por espatas (brácteas) rugosas e brilhantes, nas cores branca, vermelha, rosa, salmão ou bicolores. Propaga-se por mudas laterais, estacas de caule ou sementes.
 
Uso paisagístico
Planta de uso tradicional no paisagismo, hoje, representada por híbridos de floração maior e mais vistosa, cultivada sempre à meia-sombra. Ideal para compor maciços, principalmente à frente de muros, cercas e grades, além de jardineiras e vasos; também requisitada para flor de corte, muito durável. 
 
 
 
Foto: J. B. Sodré
Caladium x hortulanum
 
Descrição
Planta acaule, bulbosa, entouceirada, anual, obtida por hibridação de espécies oriundas da América Tropical, principalmente Brasil. Apresenta folhagem ricamente colorida em diversos tons e desenhos. Inflorescência típica da família, destituída de qualquer valor ornamental. Propaga-se por separação ou divisão de tubérculos no final do inverno.
 
Uso paisagístico
Planta indicada para formação de maciços em canteiros ou jardineiras, à meia-sombra ou sol pleno. Também cultivada em vasos de interiores. No inverno a parte aérea da planta desaparece, entrando em fase de hibernação.           
 
 
 
Foto: J. B. Sodré
Colocasia gigantea
 
Descrição
Espécie acaule, originária da Malásia e Java, com poucas folhas, porém bastante grandes, podendo atingir até 2 metros de comprimento, de consistência membranácea, peltadas, marcadas por nervuras brancas bem nítidas e sustentadas por pecíolos robustos. Inflorescência vistosa, formada por várias espádices, protegidas por brácteas brancas, determinando o fim do ciclo vital da planta. Propaga-se principalmente por sementes ou mudas laterais.
 
Uso paisagístico
Planta impressionante pelo porte majestoso, ideal para cultivo, isolada ou em grupos, nos espaços amplos, abertos, com sol direto ou à meia-sombra, preferencialmente protegida dos ventos.           
 
 
 
Foto: J. B. Sodré
Dieffenbachia amoena
 
Descrição
Planta perene, ereta, originária da América Tropical, mais precisamente da Colômbia, de porte grande e robusto, com até 1,50 m de altura, folhagem verde, variegada de branco, ao longo das nervuras secundárias, muito decorativa. Algumas variedades apresentam padrões de desenhos diferentes. Inflorescência típica da família, sem interesse ornamental. Propaga-se por estacas de caule, obtida de plantas mais velhas.
 
Uso paisagístico
Planta popularmente apreciada como espécie de folhagem devido aos diversos desenhos apresentados, conforme a variedade. Utilizada para compor maciços em áreas de jardins protegidos do sol direto, jardineiras preenchendo vasos de interiores.
 
 
 
Foto: J. B. Sodré
Epipremnum pinnatum
 
Descrição
Planta de hábito rasteiro ou ascendente, exótica, das ilhas Salomão, com folhagem ornamental, verde ou variegada. As folhas, cordiformes, são pequenas e inteiras na planta jovem ou quando utilizadas em forrações; encontrando meio de desenvolvimento ascendente e em locais bem iluminados, estas folhas se tornam volumosas, recortadas, assumindo tonalidade amarelada. Inflorescência desconhecida em nossas regiões.
 
Uso paisagístico
Além de forração, são utilizadas como plantas trepadeiras apoiadas em árvores e outros suportes, ou ainda, em recipientes suspensos.
 
 
 
Foto: J. B. Sodré
Monstera deliciosa
 
Descrição
Plana perene, originária do México, de hábito trepador se apoiada em suportes e fixando ao mesmo por meio de raízes adventícias. Apresenta folhas altamente ornamentais, cordiformes, de margens fendidas e perfuradas no limbo à medida em que vai se tornando adulta. Existe uma forma variegada, com manchas irregulares brancas sobre o fundo verde. Inflorescência em espádice protegida por bráctea vistosa. Propaga-se por sementes e estacas de caule.
 
Uso paisagístico
Espécie geralmente usada como ascendente junto a troncos de árvores, parede ou muros, criando volumes bastante decorativos, em espaços protegidos do sol direto.
 
 
 
Foto: J. B. Sodré
Philodendron bipinnatifidum
 
Descrição
Espécie arbustiva, perene, também conhecida como P. selloum, nativa do Brasil, robusta de comportamento escandente, rizomatosa, com cerca de 1,50 m de altura, com folhas grandes de bordas profundamente recortadas, crespas, muito decorativas. Inflorescência discreta em espádice protegida por brácteas. Propaga-se por sementes e pela extração de rebentos que surgem junto à planta-mãe.
 
Uso paisagístico
Planta ideal para compor maciços e renques junto a muros e paredes ou plantada isoladamente em local de destaque no jardim; também utilizada como espécie de vaso, cultivada à meia-sombra ou a sol pleno.
 
 
 
Foto: J. B. Sodré
Spathiphyllum wallisii
 
Descrição
Espécie perene, acaule, rizomatosa, originária da Colômbia e Venezuela, com até 0,40 m de altura, com folhas elípticas, verde-escura, glabras e brilhantes. Inflorescência bastante decorativa, representada por espádice branca, envolvida por bráctea na mesma cor, que se torna verde com a idade. Propaga-se por separação de mudas que ocorrem em grande quantidade ao lado da plana-matriz.
 
Uso paisagístico
Planta de constante uso nos jardins protegidos do sol direto, na formação de maciços e bordaduras em meio ao jardim ou nas laterais, junto a muros e paredes. Ideal também para cultivo em vasos para interiores.
 
 
 
Foto: J. B. Sodré
Syngonium angustatum
 
Descrição
Planta perene, de hábito rastejante e ascendente, exótica do México e América Central, de folhagem decorativa na cor verde, variegada de creme, branco ou rosa. As folhas, a princípio inteiras, vão se modificando com a idade, apresentando vários recortes. A inflorescência, em espádice, não possui valor ornamental.          
 
Uso paisagístico
Requisitada para cobrir espaços na condição de forração, em canteiros à meia-sombra ou cultivada em vasos com suporte como planta ascendente.
 
 
 
Foto: J. B. Sodré
Xanthosoma atrovirens 'Albo-marginatum'
 
Descrição
Espécie perene, rizomatosa, acaule, nativa do Brasil, com até 1 m de altura, apresentando folhas de forma curiosa, porém atraentes, devido à variegação bastante ornamental em verde e branco, às vezes, acrescida de amarelo e sustentadas por longos pecíolos. Inflorescência sem interesse ornamental. Propaga-se facilmente por rizomas que surgem lateralmente.
 
Uso paisagístico
Planta utilizada como exemplar isolado, em grupos ou formando renques à frente de muros ou paredes; pode ser cultivada também em vasos, preferencialmente à meia-sombra.
 
 
 
Foto: J. B. Sodré
Zantedeschia aethiopica
 
Descrição
Planta perene, acaule, entouceirada, rizomatosa, exótica da África, de porte que varia entre 0,40 a 0,80 m de altura, de folhagem ornamental na cor verde-brilhante. A inflorescência ereta, muito vistosa, constituída de brácteas brancas, justifica seu nome popular de copo-de-leite.
 
Uso paisagístico
Cultivada em espaços ajardinados à meia-sombra ou sol pleno, arrematando base de muros, paredes ou criando detalhes junto a tanques e lagos em solo constantemente úmido. Tradicionalmente usada para flor de corte ou preenchendo vasos de interiores.
 
Outras espécies
 
Foto: J. B. Sodré
Aglaonema costatum
 
 
 
Foto: J. B. Sodré
Aglaonema modestum 'Medio-pictum'
 
 
 
Foto: J. B. Sodré
Aglaonema 'Silver Queen'
 
 
 
Foto: J. B. Sodré
Alocasia x amazonica
 
 
 
Foto: J. B. Sodré
Alocasia cuprea
 
 
 
Foto: J. B. Sodré
Alocasia 'Hilo Beauty'
 
 
 
Foto: J. B. Sodré
Alocasia macrorrhizos
 
 
 
Foto: J. B. Sodré
Alocasia micholitziana
 
 
 
Foto: J. B. Sodré
Alocasia reginula
 
 
 
Foto: J. B. Sodré
Alocasia wentii
 
 
 
Foto: J. B. Sodré
Amorphophallus bulbifer
 
 
 
Foto: J. B. Sodré
Amorphophallus paeoniifolius
 
 
 
Foto: J. B. Sodré
Anthurium crystallinum
 
 
 
Foto: J. B. Sodré
Anthurium magenta
 
 
 
Foto: J. B. Sodré
Anthurium paraguayense
 
 
 
Foto: J. B. Sodré
Anthurium plowmanii
 
 
 
Foto: J. B. Sodré
Anthurium salviniae
 
 
 
Foto: J. B. Sodré
Anthurium scherzerianum
 
 
 
Foto: J. B. Sodré
Anthurium trinerve
 
 
 
Foto: J. B. Sodré
Anthurium veitchii
 
 
 
Foto: J. B. Sodré
Calla sp
 
 
 
Foto: J. B. Sodré
Colocasia esculenta 'aquatilis'
 
 
 
Foto: J. B. Sodré
Colocasia esculenta 'illustris'
 
 
 
Foto: J. B. Sodré
Dieffenbachia 'Camila'
 
 
 
Foto: J. B. Sodré
Dieffenbachia x splendens
 
 
 
Foto: J. B. Sodré
Monstera adansonii
 
 
 
Foto: J. B. Sodré
Monstera deliciosa 'Variegata'
 
 
 
Foto: J. B. Sodré
Philodendron cordatum
 
 
 
Foto: J. B. Sodré
Philodendron gloriosum
 
 
 
Foto: J. B. Sodré
Philodendron hederaceum 'Brasil'
 
 
 
Foto: J. B. Sodré
Philodendron 'Imperial Green'
 
 
 
Foto: J. B. Sodré
Philodendron 'Imperial Yellow'
 
 
 
Foto: J. B. Sodré
Philodendron martianum
 
 
 
Foto: J. B. Sodré
Philodendron melanochrysum
 
 
 
Foto: J. B. Sodré
Philodendron melinonii
 
 
 
Foto: J. B. Sodré
Philodendron mello-barretoanum
 
 
 
Foto: J. B. Sodré
Philodendron pedatum
 
 
 
Foto: J. B. Sodré
Philodendron 'Pink Princess'
 
 
 
Foto: J. B. Sodré
Philodendron renauxii
 
 
 
Foto: J. B. Sodré
Philodendron sodiroi
 
 
 
Foto: J. B. Sodré
Philodendron verrucosum
 
 
 
Foto: J. B. Sodré
Pistia stratioites
 
 
 
Foto: J. B. Sodré
Rhaphidophora decursiva
 
 
 
Foto: J. B. Sodré
Rhaphidophora tetrasperma
 
 
 
Foto: J. B. Sodré
Scindapsus pictus 'Argyraeus'
 
 
 
Foto: J. B. Sodré
Spathiphyllum cannifolium
 
 
 
Foto: J. B. Sodré
Spathiphyllum floribundum
 
 
 
Foto: J. B. Sodré
Spathiphyllum wallisii 'Variegata'
 
 
 
Foto: J. B. Sodré
Typhonodorum lindleyanum
 
 
 
Foto: J. B. Sodré
Zamioculcas zamiifolia