ufla

 

 

 

   
  AIZOACEAE
   
 
Classificação Botânica          

Divisão: Magnoliophyta        
Classe: Magnoliopsida          
Ordem: Caryophyllales         
Família: Aizoaceae    
Gênero: Corpuscularia
Espécie: C. lehmannii
 
Descrição botânica
Família formada por pequenas ervas suculentas, xerófitas, muito raramente plantas maiores, caracterizadas por formas muito peculiares, perenes ou anuais. Folhas alternas ou opostas, geralmente sem estípulas, muitas vezes, representando um só par de folhas, parcialmente subterrâneas. Inflorescência cimosa, geralmente reduzida a flores isoladas, frequentemente vistosas, bissexuadas, actinomorfas, monoclamídeas; cálice de 3 a 8 sépalas, protegidas por brácteas lembrando um cálice; prefloração imbricada ou valvar; estames em número igual ao das sépalas ou numerosos, livres ou unidos entre si, comumente petalóides, vistosos (estaminódios semelhantes a pétalas); ovário súpero ou ínfero, uni ou pluriovulado, gamocarpelar, 1 a 5 lóculos; placentação axial. Fruto geralmente do tipo cápsula loculicida ou pixídio.
 
Ocorrência
Apresentam distribuição tropical, concentrando-se em regiões áridas e semiáridas do sul da África, além da Austrália, perfazendo cerca de 2000 espécies em aproximadamente 130 gêneros. No Brasil, ocorre apenas a espécie Sesuvium portulacastrum, presente nas dunas litorâneas.
 
Uso paisagístico
A família Aizoaceae agrega um vasto acervo de plantas com forma bizarra e muito decorativas, indicadas para mini-jardins, jardineiras e pequenos vasos. A diversificação de formas e colorido das inflorescências tornam essas plantas, ideais para composições rochosas.
 
Gêneros
 
 
Aizoon, Aptenia, Argyroderma, Aridaria, Bergeranthus, Brownanthus, Carpanthea, Carpobrotus, Cheiridopsis, Conophytum, Corpuscularia, Cypselea, Delosperma, Dorotheanthus, Erepsia, Faucaria, Fenestraria, Frithia, Galenia, Gibbaeum, Glottiphyllum, Gunniopsis, Jensenobotrya, Lampranthus, Lapidaria, Lithops, Marlothistella, Mesembryanthemum, Mestoklema, Monilaria, Muiria, Namaquanthus, Nananthus, Neohenrincia, Oophytum, Oscularia, Pleiospilos, Psilocaulon, Rhinephyllum, Ruschia, Scopelogena, Sesuvium, Titanopsis, Trianthema, Vanheerdea, Zaleya.
 
 
Principais espécies
 
Foto: J. B. Sodré
Aptenia cordifolia
 
Descrição
Planta suculenta, de hábito reptante, originária da África do Sul, de folhagem densa e decorativa, representada por folhas carnosas, glabras e brilhantes. Floração terminal, delicada e vistosa, nas cores vermelha, a mais comum, além de rosa ou branca. Propaga-se por estacas de ramos cortadas, preferencialmente nas épocas quentes do ano.
 
Uso paisagístico
Planta rústica, bastante ornamental, tanto pela folhagem quanto pela floração, indicada para forrações a pleno sol, criando maciços ou bordaduras. O hábito prostrado viabiliza a planta para espaços suspensos de jardineiras e vasos. Também utilizada em jardins rochosos com outras espécies suculentas.
 
 
 
Foto: J. B. Sodré
Faucaria tigrina
 
Descrição
Suculenta de crescimento lento, perene, formando roseta densa, de porte pequeno, originária da África do Sul (Província do Cabo). Folhas carnosas, grossas, opostas aos pares, verdes com pintas brancas, e bordas recortadas, apresentando prolongamentos flexíveis, semelhantes a dentes. Flores vistosas, amarelas, grandes, surgindo no centro da planta, de aspecto sedoso. Propaga-se por divisão da planta ou por sementes.
 
Uso paisagístico
Espécie atraente pela forma e floração bastante decorativa, utilizada principalmente em pequenos vasos, expostos a locais bem iluminados ou sob sol brando. Ideal para compor mini-jardins com outras suculentas e pedriscos.
 
 
 
Foto: J. B. Sodré
Lampranthus productus
 
Descrição
Espécie suculenta, ereta, de porte baixo, originária da África do Sul. Folhas carnosas, lineares e cilíndricas, formando conjunto denso. Flores isoladas na cor rósea, vistosas, muito visitadas por abelhas. Propaga-se por estacas no início da primavera.
 
Uso paisagístico
Planta indicada para locais ensolarados, como forração de canteiros, criando maciços ou bordaduras. Ideal também para jardineiras e vasos, nas mesmas condições de luminosidade.
 
 
 
 
Lithops lesliei
 
Descrição
Plantas xerófitas, muito pequenas, suculentas, de aspecto bizarro, semelhantes a pedras, justificando seu nome botânico, originária da África e Namíbia. Folhagem representada por um par de folhas carnosas, de textura curiosa, em diversas cores. Flores vistosas, geralmente nas cores amarela ou branca, surgindo entre o par de folhas suculentas. Propaga-se por sementes e seu crescimento é bastante lento.
 
Uso paisagístico
Planta que chama a atenção dos colecionadores de suculentas, devido a sua anatomia botânica muito especial. Ideal para composição de mini-jardins, colocada entre pedras, produzindo micropaisagem bastante surpreendente.