ufla

 

 

 

   
  ACANTHACEAE
   
 
Classificação Científica

Divisão: Magnoliophyta
Classe: Magnoliopsida
Ordem: Lamiales
Família: Acanthaceae
Gênero: Justicia
Espécie: J. aurea
 
Descrição botânica
Família das mais importantes entre as plantas ornamentais; formada principalmente por espécies perenes, arbustivas e ervas, além de lianas e menos frequentemente árvores. Folhas geralmente opostas, simples, sem estípulas, normalmente com margens inteiras. Inflorescência racemosa, paniculada, frequentemente espiciforme, com brácteas geralmente vistosas, ou ainda, formada por flores isoladas. Flores comumente vistosas, bissexuadas, zigomorfas, diclamídeas heteroclamídeas; cálice comumente pentâmero, dialissépalo ou gamossépalo, por vezes muito reduzido; corola geralmente pentâmera, gamopétala, bilabiada, pré-floração imbricada; estames em número de 4 (didínamos) ou com 2, mais 2 estaninódios, epipétalos, anteras rimosas; nectários presentes na base do ovário; gineceu bicarpelar, ovário súpero com 2 lóculos, placentação axial. Fruto tipo cápsula, deiscente, geralmente loculicida, raramente drupa.
 
Ocorrência
Considerada uma família cosmopolita, Acanthaceae distribui-se por todas as regiões tropicais e subtropicais, perfazendo cerca de 3000 espécies em mais de 230 gêneros. O Brasil é rico em Acanthaceae, com mais de 500 espécies em aproximadamente 45 gêneros, vegetando principalmente na Mata Atlântica e formações florestais do sudeste e centro-oeste.
 
Uso paisagístico
A família apresenta significativa importância para o paisagismo devido ao grande número de plantas cultivadas como ornamentais, entre elas, espécies dos gêneros Aphelandra, Barleria, Justicia, Ruellia e Thunbergia. Algumas plantas são muito populares em nossos jardins, a exemplo de Asystasia gangetica, Barleria repens, hemigraphis alternata, que servem como forrações de pequena a grandes áreas. Algumas espécies arbustivas como Pachystachys lutea, Justicia brandegeana e Sanchezia spp, são tradicionalmente utilizadas na composição de maciços, enquanto que algumas lianas do gênero Thunbergia, servem para revestir pérgulas e grades.
 
Gêneros
 
 
Acanthus, Anisacanthus, Aphelandra, Asystasia, Barleria, Chamaeranthemum, Crossandra, Dregera, Dyschoriste, Eranthemum, Fittonia, Graptophyllum, Hemigraphis, Hypoestes, Justicia, Lepidagathis, Mackaya, Megaskepasma, Odontonema, Pachystachys, Peristrophe, Phlogacanthus, Pseuderanthemum, Ruellia, Ruttya, Ruttyruspolia, Sanchezia, Schaueria, Strobilanthes, Thunbergia, Whitfieldia.
 
 
Principais espécies
 
Foto: J. B. Sodré
Aphelandra tetragona
 
Descrição
Planta arbustiva, ereta, originária das Américas Central e do Sul, podendo atingir até 1,80m de altura. Folhas vistosas, sustentadas por pecíolos longos e avermelhados. Inflorescência disposta na extremidade dos ramos, lembrando espigas, composta por flores tubulosas, na cor vermelha, bastante ornamental. Propaga-se por estacas, preferencialmente no final da época fria.
 
Uso paisagístico
Planta requisitada para cultivo à meia-sombra como exemplar isolado, formando grupos ou renques junto a muros, paredes e grades. Para manter a beleza da planta é necessária uma poda anual, a fim de rebaixar seus ramos, proporcionando à planta, aspecto denso e mais atraente.
 
 
 
Foto: J. B. Sodré
Asystasia gangetica
 
Descrição
Planta originária da Índia, de consistência herbácea, perene, ramificada, reptante ou ascendente, com folhas simples e lisas. Inflorescência típica, representada por flores afuniladas que surgem de um só lado do pedúnculo, nas cores branca, arroxeada ou branco-amareladas. Propaga-se por estacas, ramos enraizados ou sementes que germinam espontaneamente.
 
Uso paisagístico
Espécie cultivada a pleno sol ou à meia-sombra como planta de forração de espaços amplos; ideal também para preencher vasos ou jardineiras suspensas, comportando-se como espécie pendente. Tutorada, pode apresentar desenvolvimento ascendente.
 
 
 
Foto: J. B. Sodré
Barleria repens
 
Descrição
Espécie originária da África, herbácea, perene, ramificada, de comportamento prostrado, apresentando folhas pequenas, de aspecto decorativo, com textura coriácea e brilhante. Flores isoladas, esparsas, de formato afunilado, na cor vermelha. Propaga-se por estacas e por divisão dos ramos pré-enraizados.
 
Uso paisagístico
Planta utilizada como forração, cultivada a pleno sol e à meia-sombra, ou em vasos e jardineiras suspensas, comportando-se como espécie pendente.
 
 
 
Foto: J. B. Sodré
Fittonia albivenis 'argyroneura'
 
Descrição
Espécie originária do Peru, herbácea, perene, reptante, caracterizada por folhagem muito ornamental, geralmente com nervuras contrastantes nas cores brancas ou avermelhadas, dependendo da variedade. Inflorescência sem apelo visual, formada por espiga verde e flores miúdas na cor branca. Propaga-se por ramagem pré-enraizados ou estacas, preferencialmente nas épocas quentes.
 
Uso paisagístico
Planta ideal para canteiros protegidos à meia-sombra, criando forração baixa. Também para jardineiras e vasos nas mesmas condições de cultivo.
 
 
 
Foto: J. B. Sodré
Hemigraphis alternata
 
Descrição
Espécie herbácea, de hábito prostrado, ramificada, nativa da Ásia Tropical, com folhas de colorido metalizado, frequentemente nos tons arroxeados. Inflorescência em espigas escuras, sustentando flores brancas, sem valor ornamental. Propaga-se pela separação de ramos já enraizados e também por estacas, preferencialmente no início da primavera.
 
Uso paisagístico
Planta requisitada para cultivo, de preferência à meia-sombra, como forração ou em vasos e jardineiras suspensas, sempre valorizada pela sua bela folhagem.
 
 
 
Foto: J. B. Sodré
Justicia brandegeana
 
Descrição
Arbusto nativo do México, semi-herbáceo, perene, com cerca de 1m de altura, ramificado, com caules de entre-nós longos e meio escandentes. Folhas lisas, pequenas, na cor verde-forte. Inflorescência vistosa, representada por espigas avermelhadas na espécie típica, envolvendo flor branca na extremidade. Existe uma variedade de brácteas amarelo-claras. Propaga-se por estacas de caules no final da época fria.
 
Uso paisagístico
Planta apropriada para maciços no meio dos canteiros ou formando renque na base de muros ou paredes; utilizada também para vasos e jardineiras, sempre a sol pleno.
 
 
 
Foto: J. B. Sodré
Pachystachys lutea
 
Descrição
Planta mais representativa do gênero, originária do Peru, semi-herbácea, perene, ereta, ramificada, com folhagem densa e decorativa. Inflorescência ereta, muito vistosa, composta por brácteas amarelas, de onde despontam flores brancas, também vistosas. Propaga-se por estacas, preferencialmente no início da primavera.
 
Uso paisagístico
Espécie ideal para formação de grupos isolados ou maciços no meio dos canteiros, ou ainda, junto a muros e paredes, a sol pleno ou à meia-sombra. Também utilizada em vasos e jardineiras.
 
 
 
Foto: J. B. Sodré
Peristrophe angustifolia
 
Descrição
Espécie herbácea, perene, prostrada e muito ramificada, nativa de Java, com folhagem densa e muito decorativa. Inflorescência em espiga, discreta, sem efeito ornamental. Propaga-se por divisão da planta ou por estacas, preferencialmente no início da primavera.
 
Uso paisagístico
Planta ideal para compor forrações baixas, produzindo relevante contraste devido à cor da folhagem, principalmente nas variedades de folhas verde-amareladas. Utilizadas também em vasos e jardineiras.
 
 
 
Foto: J. B. Sodré
Ruellia makoyana
 
Descrição
Planta originária do Brasil, perene, prostrada, bastante ramificada, de folhagem muito decorativa, na cor verde-escura, marcada por nervuras contrastantes. Flores tubulosas, arroxeadas formadas nas extremidades dos ramos. Propaga-se por divisão da planta ou por estacas de ponta.
 
Uso paisagístico
Planta cultivada geralmente em jardineiras e vasos suspensos ou como forração de espaços protegidos do sol pleno.
 
 
 
Foto: J. B. Sodré
Sanchezia oblonga
 
Descrição
Arbusto originário do Equador, semi-lenhoso, atingindo até 3m de altura, bastante ramificado, com folhas grandes e vistosas, na cor verde, marcadas por nervuras amareladas, contrastantes. Inflorescência terminal, comprida e densa, em diversas cores, conforme a variedade, porém com predominância para os tons vermelho-alaranjado ou amarelo. Propaga-se por estacas preparadas no início da primavera.
 
Uso paisagístico
Cultivada nos jardins como exemplar isolado ou formando maciços em espaços amplos, sempre a pleno sol.
 
 
 
Foto: J. B. Sodré
Thunbergia mysorensis
 
Descrição
Espécie liana, semi-lenhosa, de crescimento vigoroso, volúvel, originária da Índia, com folhagem perene marcada por nervuras aparentes. Inflorescência pendente, longa, formada por flores amarelas. Propaga-se por estacas de ramos maduros, preparadas após o florescimento, preferencialmente em espaços protegidos.
 
Uso paisagístico
Adequadas para plantio a pleno sol, cobrindo treliças, grades, pérgulas e pórticos, ou conduzidas em suportes verticais, produzindo efeito decorativo muito atraente.
 
Outras espécies
 
Foto: J. B. Sodré
Acanthus mollis
 
 
 
Foto: J. B. Sodré
Acanthus montanus
 
 
 
Foto: J. B. Sodré
Aphelandra sinclairiana
 
 
 
Foto: J. B. Sodré
Aphelandra squarrosa
 
 
 
Foto: J. B. Sodré
Asystasia gangetica 'Variegata'
 
 
 
Foto: J. B. Sodré
Barleria cristata
 
 
 
Foto: J. B. Sodré
Barleria obtusa
 
 
 
Foto: J. B. Sodré
Crossandra infundibuliformis
 
 
 
Foto: J. B. Sodré
Eranthemum pulchellum
 
 
 
Foto: J. B. Sodré
Graptophyllum pictum
 
 
 
Foto: J. B. Sodré
Graptophyllum pictum 'Tricolor'
 
 
 
Foto: J. B. Sodré
Hemigraphis alternata 'Exotica'
 
 
 
Foto: J. B. Sodré
Hypoestes phyllostachya
 
 
 
Foto: J. B. Sodré
Justicia betonica
 
 
 
Foto: J. B. Sodré
Justicia floribunda
 
 
 
Foto: J. B. Sodré
Justicia scheidweileri
 
 
 
Foto: J. B. Sodré
Megaskepasma erythrochlamys
 
 
 
Foto: J. B. Sodré
Odontonema tubaeforme
 
 
 
Foto: J. B. Sodré
Pachystachys spicata
 
 
 
Foto: J. B. Sodré
Phlogacanthus turgidus
 
 
 
Foto: J. B. Sodré
Pseuderanthemum alatum
 
 
 
Foto: J. B. Sodré
Pseuderanthemum atropurpureum
 
 
 
Foto: J. B. Sodré
Pseuderanthemum carruthersii
 
 
 
Foto: J. B. Sodré
Ruellia brittoniana 'Katie'
 
 
 
Foto: J. B. Sodré
Ruellia coerulea
 
 
 
Foto: J. B. Sodré
Ruellia squarrosa
 
 
 
Foto: J. B. Sodré
Ruttya fruticosa
 
 
 
Foto: J. B. Sodré
Schaueria flavicoma
 
 
 
Foto: J. B. Sodré
Strobilanthes dyerianus
 
 
 
Foto: J. B. Sodré
Thunbergia alata
 
 
 
Foto: J. B. Sodré
Thunbergia erecta
 
 
 
Foto: J. B. Sodré
Thunbergia fragrans 'vestita'
 
 
 
Foto: J. B. Sodré
Thunbergia grandiflora